Cícero, denunciando Catilina no Senado

Cícero, denunciando Catilina no Senado

13 setembro, 2007

Um exemplo de Escolari...

Declaro antes de mais nutrir pelo Sr. Scolari, em infausta hora contratado para seleccionador principal de futebol pela Federação Portuguesa desse jogo, uma profunda e invencível aversão. Digo-o, logo à partida, para deixar de sobreaviso o eventual leitor e em jeito de "declaração de interesses" como a que é imposta aos senhores políticos (pela maior parte dela incumpridores).

O dito senhor, chegado a Portugal, esta terra onde no imaginário brasileiro somos todos irremediável e militantemente burros, nos chamamos Joaquim ou Manuel, exploramos mercearia e temos esposa ataviada de preto carregado e com buço espesso, ponderou a necessidade de fazer-se aclamado, querido das massas endemoninhadas da bola. Dado o clima constante de "portofobia" e a avassaladora maioria de adeptos do SLB ou do SCP, empedernidamente hostil ao Sr. Pinto da Costa, a quem imputa todos os males, reais e supostos, do girabola luso, nada mais fácil do que juntar-se a essa massa.

Se bem o terá pensado, melhor o fez: num ápice, o Sr. estava pegado com o dito Pinto da Costa e exprimia a maior repugnância pelo FCP. Também por isso o detesto, não fugindo à minha condição de indefectível adepto do melhor clube do mundo, coisa que declaro movido do mesmo espírito de clareza acima referido, e o certo é que durante muito tempo sempre que ensaiei uma crítica ao seleccionador, os companheiros da ocasional tertúlia recebiam-na com condescendência e até desprezo, sorridentes e à laia de quem diz "olha este, lixado por não convocarem o Baía". Em suma, criou-se uma quase unanimidade segundo a qual agora é que isto estava bem e até havia um tipo teso que enfrentava o Pinto da Costa.

E agora, ó pessoal?!? Já nem falo do que era há muito óbvio: o Baía era muito melhor do que o Ricardo, incomparavelmente melhor, nem sequer eram da mesma categoria; o Scolari faz e sempre fez escolhas que são baseadas em puras preferências pessoais e subjectivas, ao invés de minimamente estribadas no mérito e capacidades relativas dos jogadores; pensa que autonomia técnica é não ter de dar satisfações a ninguém e poder ainda responder de modo mal educado a tudo e a todos; a célebre inflexibilidade dele não é mais do que teimosia reles; é tacticamente um tosco, conservador e tímido; conseguiu enfim a proeza de a troco de muitos milhares por mês ter perdido ocasião soberana para ganhar com a selecção o campeonato da Europa de 2004 e, analizado o actual percurso nesta fase de apuramento para o de 2008, o resultado é paupérrimo, estamos à rasca, apesar da sorte, e nos últimos três jogos três empates... Um imenso lote de bons jogadores foi disfarçando o problema (como já lhe acontecera no Brasil), mas muitos bons jogadores não são uma equipa, e agora já não há como esconder.

Podia continuar com larga cópia de palermices que só não viu e vê quem quer estar de olhos fechados, a começar pelo lastimável jogo de ontem, contra a Sérvia, em Alvalade, relativamente ao qual bem pode o ser em causa queixar-se de que o golo dos outros foi irregular - pois foi, era fora de jogo do avançado que o marcou, mas a questão não é essa. O ponto é que já há muito toda a gente via que tarde ou cedo íamos apanhá-lo, que a equipa estava numa desorganização de pasmar e que quando contra-atacava o treinador estava na linha a gritar ao Simão e tutti quanti que tivessem calma. Mas já chega, e não sou especialmente versado nas coisas da bola para continuar por aqui - não sou doutor da bola.

Chato, mesmo chato, o que aqui enfim importa é constatar que o que eu pensava dele fica agora provado além de toda a dúvida. É caso para soltar um sonoro "eu bem dizia"... O Sr. Scolari é psicologicamente instável, violento, propenso à negação mentirosa das evidências e toma-nos a todos por parvos. Quanto aos lastimáveis resultados, ousou dizer que não foi ele quem perdeu, que nem sequer joga e outras pérolas; quanto ao comportamento bizarro que no fim do jogo assumiu, começou por dizer que não bateu no jogador adversário, depois disse que só lhe bateu um bocadinho e para defender o Quaresma! Como se não tivessemos todos visto, e como se depois de desferir um soco na cara do tal jogador fosse relevante que lhe acertasse em cheio ou de raspão.
O homem é de topete, mas aguardo para ver se o Sr. que preside à Federação é feito com melhor massa. É que para já a única pessoa que ouvi a pôr as coisas como devem sê-lo foi o treinador adversário: Não são aceitáveis tal mau perder e tal atitude num treinador campeão do mundo, de quem se espera exemplo, e não há no desporto lugar para comportamentos assim nem para as pessoas que os tomam. Voltando ao tal presidente: há tempos afastou da selecção por dois anos um fedelho de uma equipa de sub-18 que tirou o cartão da mão do árbitro que lho exibira; fez muito bem; veremos o que faz agora ao seleccionador boxeur que soqueia um jogador da equipe adversária, ao vivo e em directo, e depois mente sobre isso na televisão, com acentuação da habitual pose pesporrente. Demiti-lo-á? Nááá... em Portugal já se perdeu essa vergonha.
Entretanto, uma coisa é garantida: os nossos jogadores já têm a internacional fama, e não raro o proveito, de serem arruaceiros, batoteiros e lesados fingidos, e agora por cima de episódios como o da meia final do Euro 2000, com grande sururu, empurrões ao árbitor e três jogadores suspensos longos meses, a mais do João Pinto a dar um soco na pança do árbitro em pleno jogo do Mundial de 2006, e além do tal puto que arrancou o cartão da mão do árbitro, pode a comunicação social desse mundo exibir as imagens do seleccionador de Portugal ao soco na tromba dos jogadores adversários e talvez comentar que depois disso o homem não foi despedido; que isto com os portugueses é mesmo assim. Vou mas é ver râguebi, que isso sim parece-me um jogo de gente séria.

8 comentários:

José disse...

O Kzar, quando falas do FêQuêPê perde o tino.

Anónimo disse...

Sr. SOCOLARI, se faz favor

a. baquis disse...

... mais, para além da indiscutivel superioridade do baía, nesse mesmo ano o jogador tinha sido considerado o melhor guarda-redes europeu. Para mim a escolha do ricardo deve-se ao seu entendimento com o "pseudo-selecionador" quanto à devoçao nutrida pela nossa senhora de fatima. E sempre que vejo um jogo da selecçao, nao consigo deixar de pensar que o guarda redes, leva uma santinha bem encostada a ele por baixo dos calçoes. E já nao falo nas lições de nacionalismo que esse sejandija tanto se vangloria de ter dado aos joaquins e aos máneis.

Kzar disse...

Uma gaita é que perco, Sr. José!
Pelo contrário, quando falo do FCP tudo fica mais claro, o verbo vem-me à ideia com nitidez e desenvoltura, torno-me minucioso castigador de injustiças, exacto apontador de verdades ocultas. É o efeito benfazejo de uma agremiação de elevada estatura, que a mais disso tem por cor o repousante azul.

Anónimo disse...

O sr socolari tem muito que aprender com a Telma!
Enquanto ela, pela via da suavidade, ganha medalhas, ele pela via da imbecilidade perde a qualificação.

ahbruto

Anónimo disse...

a mafia do fcporto na sua carta a garcia.. porque tanto chacal no pais de navegantes pescadores e filhos da puta, deixai o meu Portugal viver se a vossa CORRUPÇÃO ATIVA que se estende como um POLVO desde o fcporto as camaras de gaia passando pelos mafiosos das noites do porto com casinos putas e calotes a moda doPRESIDENTE ARGUIDO corrupto do fcporto...

Anónimo disse...

Vejo esta situação como muito preocupante. Acima de tudo devido à colagem destes CORRUPTOS DO FCPORTO ,PARECEM CAES A TENTAREM DAR UMA DENTADA na mão dos que não se vergam ao do APITO AZULADO da FRUTA do cafe e da p*** que os andou a enganar ,mas agora passou de uma AINHA a uma verdadeira RAMEIRAC que ponha os cornos ao boi que era presidente do fcporto um clube de corruptos....

Kzar disse...

O Sr. Anónimo de 23/09 às 00.08 e às 00.14 h, na impossibilidade de ordenar o pensamento deveria talvez tentar, pelo menos, aprender a escrever. Porventura a primeira deficiência determina a segunda e impede-lhe a eventualidade, mas estou em crer que tentar não seria esforço demasiado; que diabo, até já vi quem ensinasse chimpanzés a escrever uma ou outra palavra...

Em todo o caso, não fique o bilioso anónimo preocupado em excesso - está muito bem acompanhado naquela sua condição de inimigo do pensamento lúcido e da escrita clara, tem todas as condições para ser primeiro-ministro ou procuradora/inquisidora mediática, e se algum dia se fartar desse estado confusional e debiloide, pode sempre optar pela fuga em frente, fazendo uma lobotomiazita pré-frontal, acompanhada de corte do corpo caloso.

O único senão de tal procedimento é que dará por si na primeira linha dos benfiquistas mais entusiastas.

Que até lá passe bem.