Cícero, denunciando Catilina no Senado

Cícero, denunciando Catilina no Senado

13 junho, 2007

O Jogo

Causa A transforma B em C
B contém a possibilidade de ser afectado por A (condição de causalidade)
Esta condição de B, que permite a A o poder causal
Faz parte, simultaneamente, de A e de B
Se considerarmos A, B, C como elementos distintos separáveis
Sem considerar relações causais
Não podemos invocar o conceito de causalidade
Uma causa em potência, uma possibilidade, não é uma causa
Uma causa, por definição, causa algo (tautologia)
Logo “a causa” é um processo e não um conceito: relação de causas com condições de causalidade.

Mas, se pensarmos na condição de B como parte de A, a distinção entre causa e efeito torna-se mais difícil de sustentar.

Fixemo-nos na ideia de processo
Imaginemos que a condição de receptividade de B (ao poder causal de A) é onde se inicia o processo causal ou, mais interessante ainda, que ambos (A e condição de B que propicia o poder causal de A) surgem simultaneamente…Onde ficam as fronteiras conceptuais que separam causa de efeito?

Aceitam-se propostas e argumentos. Qualquer ajuda será bem vinda. Lógica nunca foi o meu forte.

16 comentários:

adail baquis disse...

olha, assim de repente, (que epoca de exames é fodida) estou a lembrar-me do problema da induçao - Hume, logica transcendenal: juizos de relaçao/ categoria da causa/efeito/principios: analogias da experiencia. quanto á logica penso que tem a ver com a condicionalizaçao material, que muita polemica tráz. mas o melhor será perguntar ao especialista da logica aí ao lado, o desiderio.
um abraço

vita activa disse...

Obrigada pelo comentário Adail Baquis. Por acaso não estava a pensar em Hume mas em Whitehead (Process and Reality). O empirismo de Hume parece-me redutor, no domínio da política, quando "algo" como uma percepção pode conter poder causa ou constituir-se como causa.
Estou mais interessada na "lógica experiencial" do que na lógica formal ou semi-formal. A experiencia nunca é meramente empirica, como Hume defende. Como é que estudamos empiricamente uma expectativa? Ou uma visão do mundo? Ou um dogma? Pelos seus efeitos empiricos? Estou a pensar em processos políticos, mais especificamente.

Melhores cumprimentos, VA

Joao Galamba disse...

Eu, que acabei de vir da praia de Ipanema, sugiro as aporias de uma lógica bimodal e atomistica sejam transcendidas por uma lógica que inclua a temporalidade -por ex. a lógica hegeliana...

Cumprimentos,
Seu Joao

vita activa disse...

E qual é a forma lógica da temporalidade Hegeliana, seu João?

Quais são as aporias da lógica bimodal e atomistica?


Cumprimentos e desejo que a estadia no Rio esteja a ser agradável.

VA

Anti-filósofo disse...

Vocês 'tão é a passar-se...

FMS disse...

Por acaso, ontem, entre um Wild Turkey e um John Power, deixei-me musicar umas curvas de Popper e Keynes. Foi uma noite do caraças, há 72 horas que perco 95% do tempo de sono.

vita activa disse...

fms

wild turkey?

hombre, tens que apurar o teu gosto! John Power, sim senhor-a. Mas wild turkey, bourbon, ahhh, que grande merda. Detesto bourbons.

anti-filosofo

a malta passa-se lá de vez em quando...não se faz mal a ninguém, tudo no relax, Stan Getz e Daniel Carter no background, boa companhia, chit chat, smooth, aint nothing but a thing como dizem os "brothers" ...tem um bocadinho de paciência.


Obrigada pelas visitas.
VA

FMS disse...

Tenho Lagavulin, Laphroaig e Talisker...

FMS disse...

Há dias arruinei um Brora de 23 anos, coisa pouca, e o Port Ellen já vai no fim... ;*

vita activa disse...

ah, assim já nos entendemos...

enjoy! :)

anti-filósofo disse...

O Laphroaig sim senhor, assim tá bem. Tou a ver que isso da filofia afinal é uma cena que interessa. Aceitam-se nihilistas nas vossas tertúlias? E há copos de cristal?

FMS disse...

conspiracaocafebar.blogspot.com, passe a publicidade :)

vita activa disse...

Não sei se há copos de cristal, mas penso que não.

um niilista que quer vir a uma tertúlia não pode ser um niilista...

anti-filósofo disse...

"Prontos", 'tá bem, é niilismo umas vezes, mero pessimismo antropológico outras, "antitudismo" a maior parte das vezes, eu sei lá...
Mas desde que haja laphroaig (ou equivalente ou superior) e copos de cristal (e já agora romeu & julieta para fumar à vontade...) então 'tá tudo bem!

VA disse...

romeu&julieta????

Anti-filósofo disse...

Charutos, VA, charutos... puros.