Cícero, denunciando Catilina no Senado

Cícero, denunciando Catilina no Senado

25 maio, 2007

O Fim

Começou com a charada do diploma. Continua com a suspensão injusta e ilegal (suponho eu) de um funcionário público. Sabe-se lá onde isto vai parar. Almeida Santos distancia-se, subtilmente. Lino excede-se. A sua despreocupação é reveladora. O PM diz não saber nada do assunto. Como se tal coisa fosse possível! A dinâmica das percepções já mudou. E todos já perceberam que mudou, radicalmente. Ontem, enquanto tomava café, um apoiante do PS exprimia o seu desalento. Um feroz apoiante do PS! É sabido que as percepções têm uma vida conturbada na política. Se fossem entes e se tivéssemos que as dissecar analiticamente seriam um composto bizarro: imponderáveis e objectivas, causas e efeitos, causadas e contingentes. Começou o princínpio do fim. O apoio incondicional de outrora transformou-se em mera crença. E as crenças políticas são traiçoeiras.

3 comentários:

Mónica disse...

Assino por baixo. Mas olha que a coisa não vai ser fácil. Essa rapaziada está agarrada ao tacho como as lombrigas às paredes dos intestinos.

Kzar disse...

Boa e certeira analogia!

Anónimo disse...

Realmente isto é uma desgraça.

BANDIDOS !

Vivam os treinadores de bancada.

De prefer~encia muiiiiiito LIBERAIS.

Ai de nós !